• anamoraesdesigner

Começou o Inverno! Quais cuidados preciso ter com meu pet?

Durante os períodos mais quentes do ano os tutores estão sempre preocupados em tosar os pets, oferecer água abundante, petiscos gelados, e as mais diversas maneiras de refrescar o pet. Porém, quando o frio chega muitos tutores, por acharem que a pelagem do animal é o suficientes para mente-lo aquecido, não se preocupam com medidas para manter o pet confortável.





Mas acontece que nem todos os pets conseguem se manter aquecidos somente com os pêlos... Algumas raças realmente tem o organismo preparado para enfrentar baixíssimas temperaturas (como o Husky Siberiano, São Bernardo, dentre outros), mas isso não é uma realidade para a maioria das raças populares no Brasil.

Gatos e cachorros não têm a mesma sensação térmica que os humanos, mas eles também sentem frio. Alguns cuidados são necessários para garantir que seu pet passe o inverno com conforto e saúde. Pequenas mudanças na rotina, além de manterem seu pet quentinho, podem ajudar a prevenir doenças como a gripe e a dermatite... Confira algumas dicas:


Grupos de Risco:

Todos os animais domésticos, independente da idade, podem sofrer com o inverno. As temperaturas muito mais baixas, os dias com menor duração, assim como uma menor quantidade de luz natural podem ser sentidos pelos animais, causando mudanças fisiológicas e de comportamento muito importantes.

Cães e Gatos filhotes e idosos podem estar mais suscetíveis a doenças como a gripe canina e a rinotraqueíte viral felina, por exemplo. Vale também ficar atendo à pets que já estão em tratamento devido à algum problema crônico, pois eles podem ter o quadro agravado durante o frio.


Gripe Canina

Os cães, assim como os humanos também ficam gripados. Causada por um Vírus (H3N8) a gripe canina é altamente contagiosa entre os cães, mas não oferece risco ao seres humanos.

Ela pode ser transmitida à um cão saudável por contato direto com animais infectados, através de objetos (como brinquedos, comedouros ou cobertas) contaminados ou secreções respiratórias.

Os sintomas mais comuns são: tosse, coriza, espirros e até mesmo febre. Mas em cães que possam estar com a saúde debilitada, a gripe pode evoluir para uma pneumonia.

A melhor forma de prevenção para essa doença é a vacinação! Ela deve ser aplicada periodicamente seguindo as orientações do protocolo de vacinação montado pelo veterinário.


Rinotraqueíte Viral Felina

A Rinotraqueíte Viral Felina é provocada por um vírus chamado Herpesvírus Felino Tipo 1; É uma doença respiratória altamente contagiosa, mas somente entre os felinos.

Esse vírus não atinge humanos, mas pode ser transmitido à outros gatos através do contato direto com a saliva ou secreções nasais e lacrimais de um animal contaminado.

Os principais sintomas são: Espirros, perda de apetite, inflamação nos olhos, febre e em alguns casos, corrimentos nasais e oculares. Em casos mais agudos pode causar sintomas de rinite, conjuntivite, tosse, lesões com crostas na face, úlceras na boca e na córnea e febre alta.

Não existe tratamento direto para essa virose, mas a melhor forma de prevenção é através da vacina múltipla! Ela deve ser aplicada no inicio do protocolo vacinal e precisa de reforço anual, seguindo SEMPRE as orientações do médico veterinário!



Além da vacinação, existem outros cuidados necessários para manter a saúde do seu amigo em dia durante o período de frio:



• Proporcione uma cama quentinha: Se o seu pet dorme dentro de casa, verifique se o local é quentinho o suficiente e ofereça uma elevação, para que o pet não fique em contato direto com o chão. Agora se o seu amigo dorme fora de casa, é bom verificar se o abrigo está localizado em um local sem vento. Se possível, forre a casinha com materiais isolantes ou jornais, para que lá dentro permaneça seco e aquecido.


• Cuidado com a alimentação: Assim como nós, os pets também sentem mais fome durante os períodos frios. Por isso é importante verificar com seu médico veterinário a necessidade de aumentar a quantidade de ração ou uma dieta ideal para manter a alimentação do seu amigo balanceada.

• Não deixe ele ficar sedentário: Oferecendo mais comida e com menos disposição para realizar atividades físicas o seu pet pode perder a forma, então fique atento! Continue passeando com seu cachorro (em horários mais quentes) e estimule brincadeiras dentro de casa! Para os cães: cordas, bolinhas e exercícios com ração escondida podem ser ótimas pedidas. Já os gatos podem continuar exercitando com a ajuda de varinhas, brinquedos interativos e claro, os arranhadores (eles são grandes aliados na hora de manter seu bichano saudável e relaxado);


• E o banho? Eles não devem ser extintos durante o frio. Mas é importante contar com um bom secador e água quentinha para não deixar o pet sentir muito frio. Além disso, as tosas higiênicas devem ser mantidas, enquanto as tosas comuns podem ter um intervalo maior, mantendo assim a barreira de proteção natural do cachorro. Não se esqueça de manter a escovação da pelagem em dia, esse processo ajuda a evitar a formação de nós e a proliferação de fungos;


Conheça nossa estrutura completa para realizar o banho e a tosa do seu amigo com todo conforto mesmo durante o frio!


• Além de todos esses cuidados é importante evitar que o seu animal saudável tenha contato com outros pets que possam estar contaminados;


Mantenha a saúde do seu amigo em dia! Se precisar de auxílio veterinário conte com a nossa equipe!


Posts recentes

Ver tudo