• anamoraesdesigner

Como lidar com cães mal-humorados ou antissociais?

Assim como os humanos, os cães também tem dias bons e ruins, além de muita personalidade (algumas muito fortes por sinal). Existem pets mais carinhosos, mais agitados, aqueles que não gostam de bagunça e também alguns mais rabugentos. Mas o comportamento antissocial pode envolver muito mais do que a apenas a personalidade do cachorro, quando ocorrem latidos insistentes, sinais de agressividade com outras pessoas e até mesmo pulos descontrolados pode ser um sinal de comportamento antissocial do peludo.


O que acontece é que muitas vezes o cão fica extremamente tranquilo na presença dos tutores ou de pessoas de confiança, que já fazem parte do seu dia a dia, mas quando estão na presença de estranhos eles se comportam mal. Mas antes de brigar com o pet, é preciso entender os motivos para isso acontecer, pois podem ser reações a alguma situação pela qual o cão passou antes de ir para a sua casa, ou algo que tenha ocorrido alguns dias antes dessa mudança de comportamento. A condição de não gostar de socializar por estar relacionada a angustias, ansiedades e medos.


Sabemos que os cachorros tem sua própria personalidade, e com isso podem ser de uma raça considerada "agressiva" e ainda assim serem cães extremamente dóceis, e também o contrário. Por isso é tão importante considerar os mais diversos aspectos para entender aquele comportamento e oferecer ao animal uma excelente qualidade de vida.

Vamos falar um pouco sobre os motivos que podem causar isso?





Quando um cão pode ser considerado antissocial?

É claro que esse é um tema onde não conseguimos oferecer as respostas de forma simples e objetivas, mas podemos dizer, que um cão é considerado antissocial quando não gosta da presença de pessoas estranhas em seu ambiente ou de outros animais por perto.


Mas a inúmeras situações que podem levar o cão a essa situação, e por isso, antes de pensar em resolver o problema a primeira dica é: entender o que motivou tudo aquilo. Busque todas as informações possíveis sobre o pet, seu histórico social e familiar, como era o ambiente onde ele estava antes ou como era a relação deles com os antigos tutores (em caso de adoção). Quanto mais informações você obtiver sobre o animal, mais fácil será de lidar com ele a longo prazo.


E quais motivações podem levar a esse comportamento?

Os cães podem ter comportamentos que são reflexos de situações antes enfrentadas, principalmente quando filhotes. Existem diferentes características que podem auxiliar na formação de uma personalidade mais agressiva do cão com visitas ou mesmo outros animais e entender esses motivos vai te auxiliar na procura por soluções.


• Stress com alguma situação!

Animais podem refletir em seu comportamento as diversas situações, até mesmo aquelas que você não pensaria em colocar como motivo... E o primeiro ponto que pode ter causado um comportamento antissocial é o stress vivido em algum momento da vida.


Conflitos com outros animais e até mesmo pessoas podem ser motivos que causam um comportamento mais negativo no cão na hora de interagir ou compartilhar o espaço com visitas. Mas também podem causar grande stress no cão situações de: alimentação desequilibrada, carência por atenção, falta de brincadeiras ou mesmo o fato do cachorro ficar preso por longas horas.


• Traumas do passado!

Conforme já foi dito neste texto, algumas situações do passado podem refletir em um comportamento antissocial, caso esse trauma não tenha sido superado ou corrigido. Por isso é tão importante tentar entender a possível causa, assim, o "tratamento" poderá ser realizado de forma mais adequada.


É importante que o tutor tenha a ciência que esse não é um problema meramente emocional, ao forçar a socialização do cão com outros animais ou visitas ele pode ficar ainda mais agressivo ou traumatizado. Não existe um método pronto para essa solução, então é preciso aceitar, entender e ter paciência. Lidar com o problema de forma racional fará toda a diferença nessa situação.


• Falta de treinamento ou adestramento!

Realizar um bom adestramento pode ser a solução para lidar com o comportamento inadequado do seu animal de estimação. Isso porque além do pet, os tutores também são treinados para lidar com situações difíceis e incentivados a impor limites.


No adestramento o tutor aprenderá as mais diferentes técnicas para dizer não ao cachorro e mostrar a ele "quem realmente manda". Ao contrario do que muitos pensam, essa não é uma relação prejudicial pro cão... Ela causa segurança e entendimento que aquela é uma uma pessoa confiável.


Adestrar é cuidar e proteger, e quanto antes esse treinamento começar, melhor será para o cão e para o tutor! E um adestramento bem realizado, com técnicas de reforço positivo, pode ser uma grande ajuda para o seu peludo a entender realmente o que é considerado um comportamento adequado.


Ao notar qualquer comportamento incomum no seu pet é essencial entender as motivações. Mas para evitar que isso aconteça é importante oferecer uma socialização agradável (desde filhote) e não hesitar quando o assunto for adestramento.


Cuidar do seu pet é mais que oferecer ração e água, envolve entender suas necessidades, comportamentos e características únicas. Não se esqueça, os animais também tem sentimentos, personalidades e emoções, e isso muitas vezes influenciará no processo de socialização.


Dê tempo ao animal, tenha paciência e se precisar de ajuda, conte com a equipe da Unipet!

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo